Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2008

PS3: Metal Gear Little Big Planet!

 

   Chega já dia 23 o pacote Metal Gear Solid para o Little Big Planet. Entre fatos de personagens e um nível completo temático, podem esperar ter de abrir os cordões à bolsa para terem este mimo completo da Sony.

 

   Realmente, a PS3 não é para mim e este sistema de pagar por conteudos extras também não faz parte da minha realidade "neoretrogamer"... "mudam-se os tempos", não é assim? Espero que todos os possuidores da PS3 tenham um excelente Natal com esta prenda. Deixo-vos o trailer:

 

 

Fonte: Game Trailers, Game Over


Shiryu       
Estadus Psicologicus:

Quinta-feira, 10 de Abril de 2008

Questionário Sony - Why Do You Hack Your PSP?

  

Porque será...?


Gambly
 

Segunda-feira, 31 de Março de 2008

ExSaD News: Mudança de Nome e Religião!



   Perdoem-me, jogadores de Portugal, pois eu estava cego, mas agora vejo.

   Ando a perder o meu tempo livre a escrever e a jogar sobre a Wii quando, obviamente, trata-se de uma consola muito inferior à Playstation 3. Sim, eu andei mais de um ano cego, mas agora despertei a minha consciência para a verdade suprema: PS3 RULA! Nem vamos falar do caixote da Micro$oft, pois essa coisa pifa sozinha sem precisar-mos de dizer nada.

   Agora que vi a luz, fui abordado por um grupo simpático de pessoas que  descobrio aqui o bloguito e me fez uma proposta catita. Se eu mudasse a temática do blog de videojogos retro-generalistas para passar a andar aqui dia e noite a falar sobre a Sony e o seu imesurável contributo para a indústria videojogável, ficava com uma PSP e uma PS3 debug sem serem feitas mais quaisquer perguntas! O que fariam no meu lugar!?

   Exactamente!  Vá, não me chamem vendido. Sou apenas humano e farto-me de trabalhar para os outros, é altura de ter o sistema a funcionar para mim.

   Portanto, R.I.P. ExGaD, digam olá ao:

ExSaD: Extraordinarius Sony Adeptus!

Estou em negociações com o Sapo blogs para migrar todo o conteúdo para o novo url (http://exsad.blogs.sapo.pt/ claro).

   Seguem-se então a nova ordem de trabalhos:

 - Pessoas que não postarem algo todos os dias sobre a
Sony serão postas na rua.
- Os posts serão previamente inspecionados para depois serem aprovados por mim e pelos novos patrons do blog.
- Comentários relacionados com outras marcas serão apagados.

- Não existe "retrogaming" antes de 3 de Dezembro de 1994 (lançamento Japonês PSX).
- A PSP é a consola mais vendida de sempre no mundo, ponto final.
- If its a Sony, we like it!

   Acho que é tudo. Agora se me desculpam, já fiz os updates necessários de firmware na PS3 e vou ver os Transformers em bluray, esse espetacular novo formato que torna o DVD obsoleto. Oh, e não se preocupem se eu não postar muito a partir de agora, é porque estou a jogar God of War na PSP em vez de estar a escrever alguma coisa importante sobre a Sony... mas alguém há-de escrever por mim, por isso... até sempre!

   PS: Um sentido pedido de desculpas ao Megalodon, afinal ele sempre teve razão... Wii é uma consola da geração passada e está na altura de abraçar a PS3 pelo que ela é: a melhor consola alguma vez feita na história da humanidade! Felicidade! Viva a Sony!

Fonte: Shiryu na Reforma

Shiryu      
Estadus Psicologicus:
Adeptus Musicalis: Shiryu - Lies

Sábado, 8 de Março de 2008

PS3: WipeOut HD - The End of Gravity






Fonte: GameTrailers

Shiryu      
Estadus Psicologicus:
Adeptus Musicalis: Dance Industries - STOTY 2007

Quarta-feira, 5 de Março de 2008

Shiryu: One Year Ago...



   As voltas que o mundo deu*...



   Ainda hoje tenho arrepios do resultado final deste filme. Andava bem inspirado nestes tempos, andava... e a jogar Excite Truck como se não houvesse dia de amanhã.

*PS: 365 voltas, para ser exacto...


Shiryu      
Estadus Psicologicus:
Adeptus Musicalis: Gelen Berh - Time Will Tell

Domingo, 30 de Dezembro de 2007

Bonus Round: 2007, Parte Final!



   E pronto, o fim do Bonus Round dedicado ao ano de 2007, que caminha também ele para o seu fim a passos largos.
 
 
 
   Venha de lá esse 2008, para eu ver se volto ou não para a geração 16 bits de vez.

Fonte: GameTrailers

Shiryu     
Estadus Psicologicus:
Adeptus Musicalis: The Warsaw Philharmonic - The Journey Home

Da mente extraordinária de Shiryu às 22:07
Postus Linkus | Adeptus Comentarius | Adeptus Adicionarius Favoritus
Segunda-feira, 24 de Dezembro de 2007

Preteritus Perfeitus - Ace Combat 2: 1:24.76



   O Jogo: Ace Combat 2
   O Ano: 1997
   O Piloto: Shiryu
   O Avião: X-29
   A Missão: 5 - Greased Lightning

   A saber:

   Voar acima do desfiladeiro: Morte imediata por míssil pela traseira acima.

   Voar contra o desfiladerio: Morte imediata devido à lei da física que diz que dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço físico ao mesmo tempo.

   Voar contra o chão: É simplesmente estúpido e os aviões não nascem nas árvores.

   Estando devidamente "briefados" (acabei de inventar um estrangeirismo, catita) sobre o que vão ver no próximo filme, deixo apenas o aviso que não é um filme seguro para cardiacos. As crianças em casa NÃO DEVEM tentar imitar o que vão ver no filme, pois foi feito por um gajo que tem reflexos q.b. para acabar o F-Zero GX. Contenham a respiração e carreguem no play:



   Nas palavras de Jack Burton: "It's all in the wrist". 1:24.76... estou a perder qualidades. Alguém aí desse lado se atreve a fazer melhor?


Shiryu     
Estadus Psicologicus:
Adeptus Musicalis: Bear McCreary - Wander My Friends

Quinta-feira, 20 de Dezembro de 2007

Preteritus Perfeitus - WipeOut 2097 Nepal



   Promessas são promessas. Em 1996 a Psygnosis agarrou no WipeOut e fê-lo perfeito. chamou-lhe 2097 na Europa. Os americanos não conhecem esta designação, eles lá chamam-lhe WipeOut XL. Ah, as pequenas diferenças...

   Lembra-me o Speedball 2. O primeiro titulo era excelente e brilhava pela sobriedade e solidez de contrução. A sua sequela era simplesmente mais, tal como WipeOut 2097. Mais de tudo: pistas, equipas, gráficos, luzinhas, som, jogabilidade... uma excecução perfeita que usava todos os truques de hardware apreendidos pela Psygnosis ao longo de um ano inteiro a desenvolver outros títulos para a PSX.

   Já no departamento do som, CoLD SToRaGe contribui apenas duas faixas na versão da PS2 (tendo no entanto o áudio todo a seu cargo nas versões Saturn e PC) e se o primeiro jogo tinha 3 faixas  de artistas "high profile" (Orbital, Chemical Brothers e Leftfield), a sequela é um roster de luxo.

   Future Sound of London, FlukePhotek , Underworld e The Prodigy perfazem com o retorno dos irmãos químicos  a lista de autores de faixas contribuidas para a inesquecível banda sonora do jogo.

   Tenho problemas em descrever em palavras exactamente o que sentia ao jogar este jogo, todos os dias, até ter ouro em todas as pistas, e tal como em F-Zero, depois andava a bater os meus próprios tempos. Talvez as palavras do Luxxx "uma conversa com Deus sob o efeito de LSD" seja de facto o mais perto possível de uma descrição correcta.

   Falando em F-Zero, uma das adições mais importantes neste capítulo foi a nossa barra de energia. Era agora de facto possivel eliminar os nossos adversários e claro, da mesmo moeda sermos nós a ficar pelo caminho. Foram adicionadas faixas regeneradoras de energia, tal como no F-Zero, ao lado da grelha de partida. Uma viagem por lá iria fazer-no sperder alguns segundos, até mesmo uma ou duas posições, por isso, por vezes valia a pena correr riscos.

   Riscos era o que eu corria, asseguro. A minha nave de eleição são as japonesas AG Systems, que tem o escudo mais fraco, não foram feitas para combater. Mesmo assim, dei volta ao jogo inteiro com elas, pois a sua agilidade é simplesmente perfeita.


   Já o Roshi, era 100% Russo, que é como quem diz, Qirex. Velocidades impossíveis de apanhar com as outras naves (excepto Piranha, mas isso é um caso à parte) sendo o único problema, claro, chegar a essas ditas velocidades, devido à lenta acelaração e falta de aerodinamica. Very russian...

   Chegamos a jogar um contra o outro em casa do Norritt (sim, eu tenho o link cable da PSX!), basicamente, eu ganahava se chegasse ao fim da corrida inteiro. Ele ganhava se metesse a 6ª e eu nunca mais o via. Claro, também existiam muitos factores aleatórios, como as fabulosas armas e os adversários. E claro, o facto de eu ter de ficar a jogar na TV liliputiana do Norritt...

   Foram bons tempos, evolui a tecnologia, ficam as mémorias. Haveria mesmo muito mais para falar sobre este jogo, mas por hoje, fico-me por aqui. Deixo-vos como sempre na neve, com um par de voltinhas em Sagamartha, Nepal. E claro, este Preteritus Perfeitus é mais uma vez um Adeptus Musicalis disfarçado, apreciem "Landmass" dos Future Sound of London ao mesmo tempo.


Shiryu      
  
Estadus Psicologicus:
Adeptus Musicalis: Future Sound of London - Landmass

Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2007

Preteritus Perfeitus - WipeOut 2097, a Intro...





   Boa noite e bons sonhos, geração WipeOut.


Shiryu      
Estadus Psicologicus:
Adeptus Musicalis: Sasha - Xpander

Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2007

Preteritus Perfeitus - WipeOut



   Calma! Apelo à calma, senão mando a segurança evacuar o blog!

   Cumpro hoje o que prometi, ou seja, enfiar o WipeOut no blog. Por isso e sendo segunda-feira, como deve estar tudo de trombas por mais um dia de trabalho / estudo, decidi alegrar um pouco a noite a certas e determinadas pessoas (assim de cabeça lembro Norritt, Roshi, Hernandez, Luxxx, Dredmingos, PacmanReis, Raziel, Factory81... devo estar a esquecer-me de alguém... bom, o Namorado é mais rodas... ai, esta minha cabeça).


   Não se safam é da lição de história, claro. Pelo menos, é engraçada. A ideia para o jogo surgiu numa noitada em plena discoteca onde o pessoal da Psygnosis já estava mais feliz que o normal (leia-se: bebedolas) e começaram a falar de como seria espetacular fazerem um F-Zero em verdadeiro 3D, com música do mesmo estilo que se ouvia no momento na discoteca. Para apimentar a coisa, armas ao estilo de Super Mario Kart q.b.

   Foi assim (acreditem ou não, eu acredito, foi contado em 1ª pessoa na Retrogamer de há uns meses atrás) que após curada a ressaca, se começaram a fundar os primeiros passo para a obra de arte que é o WipeOut da Playstation. E claro, passaporte para a Psygnosis ter sido comprada pela Sony, após verem o que eles estavam a fazer no seu hardware.

   Dois factores extra que contribuiram imenso para o êxito do jogo foram The Designers Republic e CoLD SToRaGe. A arte do grupo Designers Republic é uma constante no WipeOut, é incrivel como por exemplo, o seus icons minimalistas facilmente nos dão logo a entender o que faz cada powerpup. Já o Tim Wright é uma referência do Amiga (Lemmings, Shadow of the Beast 2 e 3), por isso reencontrál-o estes anos mais tarde sob o novo pseudónimo de CoLD SToRaGe, a fazer música electrónica foi um grande bónus. Fez há uns meses 40 anos, 20 deles dedicados à carreira musical. Foi graças a ele que para além da inspiração, aprendi muita coisa através de inúmeros programas (Music na PSX, eJays no PC) que trouxeram criação de música a pessoas sem qualquer treino na dita.


   Parabéns se leram tudo até este parágrafo sem irem ver o logo o filme. Aprecio a vossa atenção.

   Mantendo a tradição do "gelo e neve", aqui fico eu a dar três voltinhas a SilverStream, ao som emblemático de CoLD SToRaGe - Cold Confort, uma música usada e abusada no Templo dos Jogos.

   Não liguem à minha prestação completamente digna de uma besta ao volante, estava numa de ver as vistas e bater nas curvas todas...



   Portanto, se é permitido ao Johnny Rotten proclamar em alto e bom som  (sabe-se lá se no total controlo das suas faculdades) "I am England!", eu findo berrando em alto e bom som, no total domínio das minhas capacidades mentais (psicóticas), em nome de todos os nomes referidos no ínicio deste post e todos os outros que andam por aí perdidos neste meu belo país à beira mar:


"WE ARE THE WIPEOUT GENERATION!"


   E ninguém nos pode parar, pois o futuro é rápido, cheio de luzinhas e a única certeza é a quantidade de "beats per minute" da banda sonora das nossas vidas. Se ontem vos dei rock, hoje dou-vos electronica. I love my DR.
 

Shiryu     
Estadus Psicologicus:
Adeptus Musicalis: CoLD SToRaGe - Cold Confort

Terça-feira, 11 de Dezembro de 2007

Preteritus Perfeitus - Tobaru Nambā Wan!



   Caso não tenham percebido o meu título em "Wapanese", hoje trago-vos o meu jogo de luta favorito a 3D: "Tobal Nº1".

   Enchi-me de coragem e lá me enfiei na minha arrecadação, local onde se entra jovem e inexperiente e que quando se sai de lá, já se vem um homem feito de barba rija com pelo menos mais 20 níveis em cima, tais são os perigos que espreitam a cada esquina.

   A minha recompensa por tal aventura? A minha PSX e todos os cabos necessários para a ligar, claro está. Felizmente, continua funcional e impecável, nem pó tinha.

   Mas falemos do "Tobal Nº1". No Japão vendeu muito bem, pois sofreu do síndrome "O jogo que vem com a demo do Final Fantasy VI". Mas seria apenas isso, ou tal como Z.O.E. que é uma obra prima e é apenas lembrado como "o jogo que trazia a demo do MGS2"?

   Isso é conforme a opinão de cada um. A minha, é simples: Perfeito! Quando a PSX dava os seus primeiros passos e os pogramadores iam tentado a sua sorte em migrar jogos 2D para o 3D apenas possível na PSX, foi formada a Dream Factory.

   Na direcção do jogo, o veterano Seiichi Ichii (Virtua Fighter, Tekken) e no artwork Akira Toriyama (Dragonball, Chronno Trigger). O resultado? Um jogo de luta verdadeiramente tridimensional, onde nos podemos deslocar em qualquer direcção na arena, com gráficos sem uma única textura a permitir 60 frames por segundo constantes.

   Mas o que faz ou quebra um jogo de luta é o seu controle. Tobal deixa de lado as convenções da altura e tem apenas 3 botões para ataques: alto, médio e baixo. Adicionado a esses, o botão R1 para bloquear e o R2 para saltar. A combinação destes 5 botões permite executar combinações imensamente fluidas e de facil percepção por parte do jogador, não sendo necessário decorar centas de golpes para cada personagem. Mais do que isso, permitia ao jogador inventar um pouco o seu estilo de luta, intercalando o tipo de ataque e mesmo mudando as combinações a meio da sua execução, tornado as lutas por vezes num quase bailado coreografado à procura do erro do adversário. O sistema de pegas é simplesmente perfeito. O modo "Quest" era um desafio enorme, tendo eu acabado os seus 100 níveis apenas uma vez (e ter sido recompensado por tal feito... um dia conto-vos!).

   E é isso mesmo que vos deixo aqui em vídeo. O meu personagem favorito, Choji, é um mineiro que entra no torneio em busca de fama e glória. Gren, favorito do Norritt, é um aristocrata que entra no torneio em busca de diversão da sua vida chatérrima. Mas no ringue, são apenas adversários, artistas marciais com uma rivalidade qual Ryu/Ken ou Goku/Vegeta.



   É um pouco triste. O "Tobal 2" nunca saiu fora do Japão e é considerado como o melhor  jogo do estilo alguma vez feito (e eu confirmo). Embora outros títulos tenham usado este sistema de luta ("Ehrgeiz" e "The Bouncer" já na PS2) nunca mais ninguém se lembrou que um "Tobal Nº3" seria muito bem vindo, especialmente uma versão 360/PS3/Wii/DS/PSP.

   Aliás, minto, saiu um Tobal novo no Japão há um mês e pouco... para telemóveis! Sinto-me triste, pois olho para a corrente geração e não vejo nenhum jogo de luta 3D a chegar à fluidez e jogabilidade do Tobal. Quem diria... em 1996 fizeram uma obra de arte e ninguém deu por isso enquanto ela foi sendo esquecida ao longo dos tempos...

   Espero que tenham jogado a este jogo. A banda sonora ainda hoje me acompanha... e quanto a ela... quem sabe, falarei num futuro post.


Shiryu      
Estadus Psicologicus:
Adeptus Musicalis: Junya Nakano - Hills of Jurgon

Sexta-feira, 7 de Dezembro de 2007

Super Shiryu Land: Lady & Trinity







   Bem vindos à estreia da minha coluna pessoal, onde escrevo do que me der na cabeça, sobre assuntos que mais ninguém pensa sem ser eu, porque realmente, tenho tempo e preocupações a mais.

   Numa semana que as notícias mais importantes que não reportarmos aqui no blog estão frescas na mente de todos (maminhas, wiimotes... se não sabem do que estou a falar, Google nisso) não me posso deixar de lembrar que o corpo feminino é uma obra de arte. Eu sei disso, vocês sabem disso e acreditem, elas sabem muito bem disso...

   Permitam-me então apresentar dois "case studies" de personagens femininas num videojogo, Lady e Trinity do Devil May Cry:



   Como em qualquer sector de entretenimento/arte, as mulheres são usadas nos jogos como apelo visual normalmente para o público alvo (ou seja, nós rapazolas). Felizmente (mas não tão depressa como deveria ser), começa cada vez mais a haver personalidades fortes para além dos seus modelos de físico impossível, atrás destas duas há de facto uma personalidade forte.

   Apreciei e muito esse facto, tanto com a Trinity no Devil May Cry como a Lady no Devil May Cry 3, pois muito além da típica "femme fatale", ambas de facto contribuem para o enredo. Muito mais do que apelarem simplesmente pela sua figura física, apelam à coisa que é o mais díficil de conseguir e ainda está por explorar neste meio: sentimentos.

   Não estou a falar dos calorzinhos que se sentem pelo pescoço a cima, quando a Capcom usa planos de camêra para mostrar as curvas virtuas de cada uma a cada hipótese possível. Falo sim do facto de eu como jogador na pele do Dante ficar incomodado ao ver a Trinity a sacrificar-se por descobrir a sua verdadeira origem, ou a Lady ao saber quem e o seu pai. É engraçado, como num dos jogos que é considerado dos mais machistas no mercado (Dante, porrada, armas, espadas, más linhas de engate, etc...)  eu fui encontrar duas personagens femininas fortes. Diga-se, o mesmo sucede no Metal Gear Solid... mas esse fica, quiçá, para outro dia.

   Com a nova geração, é tempo de Lady e Trinity receberem um makeover digno da 360º e PS3:

   Não faço ideia se ainda está alguém a ler esta parte do post. Poderia dar largos à minha liberdade de expressão e começar a dizer barbaridades, mas prefiro continuar na minha linha de pensamento. Sim, isto é pura pornografia visual, algo que tem vindo a acontecer com todos os jogos da corrente geração do lineup das máquinas da Sony e da Microsoft. Mas ao contrário de quase todos, eu não sou indiferente ao Devil May Cry 4: Dante Must Die.

   De facto, considero o original uma obra de arte, em todos os níveis (gráficos, som, jogabilidade... enfim, comprei a PS2 por causa dele e está tudo dito) e penso que não vou ficar desiludido com este quarto capítulo que está a meros dois meses e meio de distância. No entanto... questiono-me que uso é que vão dar às meninas, que tiveram um belo papel de destaque na série de anime.

   Enfim, é mesmo uma indústria de homens feita para homens... mas por algum lado esse preconceito feioso há-de quebrar de vez. O Devil May Cry definitivamente não é o jogo que fará isso... mas nunca se deve julgar o livro pela sua capa, pois foi lá dentro eu descobri duas personagens femininas que me fizeram, de facto, querer saber delas, algo que não acontecia desde que vi o Sephirot enfiar uma lâmina de um lado ao outro da Aeris.



   Ela refere-se aos seus olhos, claro. Contem com a demo do jogo bem cedo em 2008, para começar logo bem o ano.

  Shiryu     
Estadus Psicologicus:
Adeptus Musicalis: Bear McCreary - Passacaglia

Sábado, 1 de Dezembro de 2007

Say hello to my little...Guncon!?



    Admito, eu gosto de light gun shooters. Deixei muita moedinha no Virtua Cop 1 & 2 nas arcades, comprei o Time Crisis para a PSX e estou  feliz da vida com a revitalização do género graças à Wii.

    Estava eu muito feliz a preparar-me para ir para o vale des lençois e sou assaltado por isto:



    Irra! Nem sei o que dizer... nem sei por onde começar. Uma coisa é certa, comprar o Time Crisis 4 passou a estar fora de questão...


Shiryu     

    PS: E acordo hoje de manhã e vejo que a Kotaku fez um post com o mesmo título... asseguro, escrevi o meu primeiro! Coincidência maluca...
Estadus Psicologicus: Sacrilégio!

Adeptus

Adeptus Pesquisaris

 

Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Recentis Postus

PS3: Metal Gear Little Bi...

Questionário Sony - Why D...

ExSaD News: Mudança de No...

PS3: WipeOut HD - The End...

Shiryu: One Year Ago...

Bonus Round: 2007, Parte ...

Preteritus Perfeitus - Ac...

Preteritus Perfeitus - Wi...

Preteritus Perfeitus - Wi...

Preteritus Perfeitus - Wi...

Preteritus Perfeitus - To...

Super Shiryu Land: Lady &...

Say hello to my little......

Adeptus Arquivus

Julho 2010

Junho 2010

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

tags

todas as tags

Adeptus Linkus

Adeptus Counter

ExGaD Adeptus Counter

Impacientus Infinitus

SAPO Blogs

subscrever feeds